quinta-feira, 16 de outubro de 2014

As vezes, é preciso jogar tudo fora.

Quando escrevo, coloco para fora aquilo que não dá para falar, e muitas vezes problemas que canso de conversar sobre.
Vou deixar hoje registrado toda minha indignação, ou simplesmente tentar.

Saudades do passado é apenas um sentimento que eu não consigo resgatar mais nada, quando uma pessoa muda e hoje não se encaixa mais em nada que conheci, simplesmente tudo que vivi já faz parte de um tempo que se foi. É necessário aceitar que tudo muda. Pessoas mudam, você mudou.
Procurar para ser outra pessoa, não é mais inteligente para mim. Pena que nossa mente demora tanto tempo para aceitar que não para voltar o que se foi...

É verdade foi intenso, meio dependente, bom. Hoje é ruim, porque está sempre distante.

Motivos que desistir de vez de amigos do passado:

  • Parece que sempre existe um incomodo contra mim.
  • Estou sempre na expectativa do confronto, de tudo que eu vivi de ruim no presente voltar a tona.
  • Preciso entender que pessoas precisam ir embora, as vezes.
  • Momentos bons se confundem com uma esperança que não existe.
  • Abraços, sentimentos vão ter que ser investidos nas minhas novas amigas.
  • Investir em mim, esquecer o passado, e pensar no meu bem-estar.
  • Nunca mais ter esperança em quem não quer me dar amor-amigo.
  • Acabou.


    Momentos de reflexão...




quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Quanto tempo não apareço!!

Encontrei essa imagem por aí, se alguém sentir incomodado pode colocar os créditos, porque eu não me lembro mais onde achei.

Bom, depois de uns meses sem aparecer por aqui, muita coisa mudou dentro de mim e ao meu redor, eu não sinto mais como antes, o falecimento das minhas tias me fizeram amadurecer, e refletir em muitos aspectos. Consigo enxergar que não dependo de algumas coisas pessoas para viver minha vida, que eu posso seguir meu caminho "sozinha" e com as pessoas que eu amo ao meu lado. Quando eu fiz psicologia e me formei, aprendi que sempre precisava de terapia, e fiz mesmo muitos anos. Mas no final a pessoa que eu fiquei por mais tempo, no final  tentou denegrir meu caráter. Pelo simples fato de achar que eu quis ficar com o livro dela.. e eu a entreguei no ano passado. Fiquei pensando dentro da psicologia, se alguém faz isso para romper com a paciente seja inconsciente ou não. Ficar tentando acusar que eu quis ficar com algo com que não é meu. E uma coisa eu aprendi disso tudo, nem sempre precisamos nos apoiar nas pessoas. Que sempre vamos ter problemas, e sempre vão existir outras formas de tratamento, médico, amigos, Deus e o blog para que eu possa desabafar, conversar e expor pra fora tudo que é meu de fato. Nunca conheci alguém que quisesse sempre me cobrar tanto. E por isso, depois de 7 anos me cansei dessa "forma de ajuda"...hoje me sinto livre, liberta sem o apoio de quem no fundo nunca me ajudou de verdade. Porque eu penso que quem ajuda, e te frustra não te ajuda em nada.

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

Reflexão: Eu quero fazer história e não ser mais um ser humano comum...

Quero falar hoje da minha indignação sobre as pessoas serem tão estranhas. Curtir tanta bobagem e quando você relata na sua rede social um caso de superação e vida as pessoas simplesmente ignoram e ficam com a futilidade. Hoje quero falar da minha xará e escritora: Helen Adams Keller. Helen Adams Keller (27 de junho de 1880 – 1 de junho de 1968), escritora norte-americana e ativista social. Cega e surda em decorrência de uma doença manifestada aos 19 meses de idade. Seu aniversário em 27 de junho é comemorado como o Helen Keller Day no estado da Pennsylvania e foi autorizado em nível federal por meio da proclamação presidencial de Jimmy Carter em 1980, no centenário de seu nascimento. Tornou-se uma célebre e prolífica escritora, filosofa e conferencista, uma personagem famosa pelo extenso trabalho que desenvolveu em favor das pessoas portadoras de deficiência.
Anne Sullivan ( sua professora) chegou à casa de Keller em março de 1887 e imediatamente começou a ensiná-la a se comunicar soletrando palavras em sua mão, a começar pela palavra b-o-n-e-c-a, para a boneca que ela havia trazido de presente. A princípio, Keller ficava frustrada porque ela não entendia que cada objeto possuía uma palavra única para identificá-la. Na realidade, quando Sullivan tentava ensinar para ela a palavra ‘caneca’, Keller ficou tão frustrada que chegou a quebrar a boneca. Seu grande salto evolutivo em comunicação começou no mês seguinte, quando compreendeu que os movimentos que sua professora fazia na palma de sua mão, enquanto deixava a água escorrer sobre sua outra mão, simbolizavam a ideia de ‘água’; a partir de então, ela praticamente levou Sullivan à exaustão demandando os nomes de outros objetos familiares de seu mundo.


Ela tornou-se uma celebridade bem conhecida e palestrante, compartilhando suas experiências com o público e trabalhar em nome de outras pessoas que vivem com deficiência. Ao longo da primeira metade do século 20, Keller abordou questões sociais e políticas, incluindo o sufrágio das mulheres, o pacifismo e controle de natalidade.
Eu quero fazer história e não ser mais um ser humano comum...


A história de Helen Keller é de uma superação incrivel ela foi ensinada a escrever e ter uma comunicação como muita insistência devido ela ter se infectado com uma doença na época que fez ela perder a visão e audição muito nova. Mas com ajuda de sua instrutora ela passou a  lê o texto em braille com a mão esquerda e manualmente os sinais com a mão direita. 

Texto tirado da Wikipedia e http://www.biography.com/people/helen-keller-9361967#a-formal-education 

sábado, 31 de maio de 2014

Queria não precisar de mais ninguém...

E quando isso não mais acontece, o que podemos fazer??  Nada. Não podemos fazer nada para as pessoas gostarem de nós. E também não fizemos nada para deixar que gostasse. Podemos apenas acostumar, mas as vezes o coração está simplesmente cansado e não quer mais acreditar em ninguém, não quer mais se acostumar a nada. Mas, tem uma coisa que alivia toda tristeza: Chocolate. Rss!
Eu apenas queria entender porque umas coisas acontecem. Porque aconteceram..mas, simplesmente nem dá para explicar todos esses motivos. As razões pelas quais nos entristecemos, parece que não dá para ver um futuro melhor, mais atraente mais gostoso. Faz frio, e esse tempo aumenta tudo que nos incomoda e chorar pode alivia a dor, mas,  até quando precisaremos aliviar as dores? Porque não podemos ser só felizes? A felicidade que incomoda o outro, a felicidade que alastra nosso cérebro e irriga todas as células nos levando a momentos de prazer inexplicáveis. O mesmo remédio que alivia uma dor, poderíamos comprar na farmácia chamada felicidade. Onde encontrá-la? Porque deixei que roubassem minha paz??

domingo, 25 de maio de 2014

Ansiedade..ansiedade..ansiedade.

Ansiedade é o bichinho do incomoda, puxa estica, sacode seu cérebro e te leva para onde você deixa ele te levar. As vezes, para um lugar que tudo está gritando dentro de você, angustiando, paralisando. E nada que  faça você mudar. E continua parado só pensando que não vai conseguir chegar aonde precisa. O pior que nem sempre conseguimos confrontar nossos pensamentos, e dizer: Acha mesmo que vai chegar a ser tal coisa? Ou que não será? Quais são as garantias que levam a pensar nisso? Para CÉREBRO! Quero poder pensar e agir contra tudo isso. O que podemos fazer? Gostei muito dessas mensagens:

"Não ter pressa em aprender tudo de uma vez só: a ansiedade, a pressa, a agonia para estudar tudo de uma só vez gera angústia, medo e depressão, criando quadros psicóticos profundos. Os apressados vivem uma eterna guerra de pensamentos acelerados. Sobrecarregam o córtex cerebral, escoando a energia vital do espírito. Andam tristes, agitados, fatigados e esquecidos de tudo e de todos. Deixam de contemplar o belo, e, num processo inconsciente, perdem a alegria interior. Como não ser apressado? Gostando de si mesmo, pensando para viver, e não viver para pensar.
Dinheiro, fama, status, cargo público importante não compensam a sensação de ansiedade.Qualquer vitória só faz sentido se for obtida com esforço em clima de festa. Esse é o único modo de reescrevermos o script de nosso destino, pois podemos ser felizes enquanto lutamos.” (Uadi Lammêgo Bulos)



terça-feira, 20 de maio de 2014

O viciado em pessoas toxicas, você já foi?

O toxico sufoca sua alma, além do corpo. Pessoas também podem ser assim, e começa a ficar insuportável, cansativa. E simplesmente você começa sentir desprezo. E não ter mais a menor vontade de estarem juntos(as). É mentirosa(o) com as pessoas, não tem menor integridade que é uma coisa que eu prezo. ´Falsidade toxica. Amizade toxica, pessoas com coração podre. Maldade sem menor chance de me indenizar, quero distancia de todos que eu me sinto mal. Quero distânnnnnnnncia de todos. Quero novidade, quero quem me inspira, eu não quero abrir uma caixa de bombons e encontrar todos furados, como é a vida de quem é toxico. Eu não quero você, nem pintada, eu não suporto mais nada. A frieza é a resposta de tudo que posso dar. Não tenho mais nada pra te oferecer. Cansei de você. Dá o fora, já falei. Não tem nada que posso admirar, como uma revelação a muito tempo. Você foi embora e espero que nunca mais volte. É toxico pensar em você, só de pensar. Ainda bem que nem existe mais. Será que existe? Não, é outra, são duas, ou melhor é ilusão o que pensei que vivi nessa amizade. Eu sou outra a muito tempo, por isso, não suporto mais essas suas substancias venenosas.

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Amar a si mesmo resolve nossos problemas.

     Com o gancho do livro do Augusto Cury, quero falar sobre ser realmente insubstituível, será mesmo que no tempo de hoje em que as pessoas não tem mais a mesma importância, realmente essa frase do Charlie brown faz sentido? Fazendo uma analise mais profunda sobre isso, vejo que poucas são as pessoas que recebem o nosso verdadeiro valor. Talvez porque a desconfiança e outras experiências tomaram espaço dentro do nosso  coração. Mas, é certo que em todo tempo queremos ter valor. Queremos ser mesmo importantes.
    Augusto Cury está longe de ser auto ajuda ou coisa parecida como muitos acham. Ele é médico psiquiatra e psicanalista, muito inteligente e desenvolveu a teoria multifocal. Com base nesse livro quero destacar alguns trechos sobre "você é insubstituível" que achei bastante interessante para falar de sentimentos, que por vezes deixados de lado por aquilo que vivenciamos e não conseguimos nos abrir para novas oportunidades na nossa vida em conhecer pessoas, porque é certo que todos um dia de alguma maneira irá nos magoar. Mas a diferença é que se isolar nos leva mais perto do abismo das doenças psicológicas. Vejamos o que diz a respeito desse livro que escolhi para mencionar aspectos da vida.
     "A personalidade foi, assim, confeccionada de maneira multifocal e bela. Se você é negativista, inseguro, corajoso, sonhador, isto se deve à história escrita em sua memória. Você interpreta o mundo pelas janelas da sua história. Ela contém milhares de arquivos com bilhões de informações. Você não pode deletar a sua memória, nem as experiências dolorosas nem as prazerosas. Ela só pode ser reescrita. Como? Aplique a técnica do DCD (duvide, critique e determine). Duvide de tudo aquilo que controla sua emoção e conspira contra sua vida. Critique cada pensamento negativo. Critique a passividade do "eu". Critique seu conformismo e reflita sobre as causas de seus conflitos. Determine ser alegre, seguro,' feliz. Dê um choque de lucidez em sua emoção, arquive novas experiências! Seja autor e não vítima de sua história."  Por fim acredite em você mesmo, não desista de você porque assim, as pessoas também não o farão. Você transmite aquilo que quer. Quando não sentimos bem, aproximamos de pessoas e situações completamente diferente do nosso verdadeiro eu. Mas, quando conseguimos chegar mais próximos de quem somos, encontramos nosso self real. É certo que esse valor virá de fora também.  

Será que seu namorado é um psicopata? =)

Como identificar um psicopata? Será que ele mora ao seu lado? Será que você já namorou com um?
Esse assunto muito me interessa até porque como sou formada em psicologia, é um assunto que eu sempre leio porque muitas pessoas poderiam tranquilamente cruzar com desse tipo, sem perceber. No livro da Ana Beatriz: O Psicopata Mora ao Lado, ela fala que eles podem arruinar empresas e famílias, provocar intrigas, destruir sonhos, mas não matam. E, exatamente por isso, permanecem por muito tempo ou até uma vida inteira sem serem descobertos ou diagnosticados. Por serem charmosos, eloquentes. Portanto, esse amigo que trabalha na sua empresa, que está bem ao seu lado pode muito bem sem você perceber ser um desse tipo, porque nem todos matam, mas destroem a sua alma aos poucos, fazendo sujeiras e tirando você do seu lugar, do seu eixo, e o colocando excluído de você mesmo emocionalmente falando, apenas por interesse pessoal. Está disposto a namorar uma menina inocente, e a manipula-la e a transforma-la em outra pessoa pelas garras que este mesmo possui, apenas por prazer. Então fique de olho no seu amigo, no seu namorado muito eloquente, e manipulador, em pessoas da sua família também, porque não?  "Almejam o poder e o status, engordam ilicitamente suas contas bancárias, são mentirosos contumazes, parasitas, chefes tiranos, pedófilos, líderes natos da maldade. É importante ressaltar que os psicopatas possuem níveis variados de gravidade: leve, moderado e severo. Os primeiros se dedicam a trapacear, aplicar golpes e pequenos roubos, mas provavelmente não "sujarão as mãos de sangue" ou matarão suas vítimas.
Já os últimos, botam verdadeiramente a "mão na massa", com métodos cruéis
sofisticados, e sentem um enorme prazer com seus atos brutais. Mas não se iluda! Qualquer que seja o grau de gravidade, todos, invariavelmente, deixam marcas de
destruição por onde passam, sem piedade." Trechos tirados do livro: O psicopata mora ao lado. Juntamente com meus pensamentos. Acho importante as pessoas se preocuparem com quem se relaciona para que o emocional não fique acabado por seres dessa especie.